Controle de roedores: Aprenda como evitar esses animais em sua propriedade

Controle de roedores: Aprenda como evitar esses animais em sua propriedade

 

Os ratos são responsáveis por inúmeros prejuízos em propriedades rurais, tanto no sentido econômico como também para saúde. Eles se adaptam facilmente aos ambientes, principalmente quando encontram alimento, água e abrigo, o que pode tornar a fábrica de ração um “local ideal”.

 

Os roedores podem danificar máquinas e equipamentos, causando prejuízos e às vezes até acidentes. Além disso, são transmissores de doenças, como leptospirose, peste, salmoneloses, febre da mordedura e triquinelose.

 

 

 

Para evitar problemas com ratos, procuramos especialistas que respondem as principais dúvidas sobre este assunto. O médico veterinário Vitor Hugo Grings, analista da Embrapa Suinos e Aves e Levino Bassi, técnico da Embrapa Suínos e Aves,  revelam  o que todo produtor precisa saber para deixar estes animais bem longe da propriedade:

 

           

 

Como identificar a presença de roedores?

 

É preciso observar a propriedade para identificar sinais, como fezes, materiais roídos e trilhas com manchas de gordura em paredes. Com o uso de lanternas à noite, faça pequenas buscas. Caso enxergue ratos durante o dia, é possível que já tenha uma infestação, pois eles só saem de seus abrigos em busca de alimentos.  Fique atento.

 


Quais os prejuízos causados por esses roedores?         
Os roedores são responsáveis por inúmeros problemas. Para se ter ideia, a ratazana e o rato preto, em 6 meses, consomem aproximadamente 14 quilos de alimento, produzem 5,5 litros de urina e 25.000 bolotas de fezes. Dessa forma, contaminam alimentos, podendo através da urina, fezes e pelos, afetar a nossa saúde. Ainda, podem passar ácaros e outros ectoparasitos, como a pulga, que pode ser portadora do causador da peste bubônica, também conhecida como "peste negra".            
Também causam prejuízos financeiros, já que possuem dentes capazes de roer madeira, chumbo, alumínio, argamassa, tijolo, plástico e cimento.
O maior perigo nas instalações é a destruição da fiação elétrica, podendo causar curto-circuito.

 

 

 

Como realizar um controle eficaz dos ratos?

 

Antes de tudo, é preciso lembrar que a manutenção da propriedade é muito importante, pois em ambientes limpos e organizados a proliferação de roedores é menor.

 

Para iniciar o controle dos ratos, é preciso identificar quais espécies estão presentes. E o combate para evitar a presença desses animais pode ser feito de forma mecânica/física, química ou biológica, usadas individualmente ou associadas.

 

 

 

*Controle mecânico: dificulta o acesso aos ambientes em que os ratos irão buscar alimentos. Nessa forma de combate você deve:     
- Utilizar grades e vedações em portas e janelas.  Coloque abas de lata, como chapéu chinês, nos pilares ou cepos das instalações;          
- Evitar a presença de árvores com galhos que possam encostar nas instalações, porque isso pode favorecer o acesso dos roedores;           
- A área de depósito de ração deve ser organizada e sem entulhos. O estrado de madeira (gradeado) usado para empilhamento de sacos de rações deve ter altura mínima de 25cm para facilitar a limpeza da parte debaixo e instalado 40cm longe das paredes. Essa área deve ser varrida diariamente, para não deixar atrativos para os ratos;          
- Manter os arredores das instalações roçados.          

 

*Controle químico: é realizado com o uso de venenos e tem sido a alternativa mais utilizada, inclusive em criações agroecológicas, pois o veneno é ingerido pelos roedores sem entrar em contato com os animais. É preciso tomar alguns cuidados ao usar esse tipo de controle, como guardar o produto em local fechado e seco, longe de inseticidas e herbicidas para não alterar o cheiro e ser recusado pelos ratos. Também deve estar fora do alcance de crianças e animais domésticos. Para garantir que o controle químico funcione, é preciso saber aproximadamente qual o tamanho da população de roedores, as habilidades desses animais e o comportamento das diferentes espécies de ratos, para saber onde utilizar as iscas.

 

*Controle biológico: o controle biológico não é recomendado em criações rurais, já que os predadores dos ratos, principalmente os gatos, podem acabar adquirindo alguma doença transmitida pelos roedores.

 

 

 

E quanto aos raticidas, é permitido utiliza-los?

 

É preciso estar atento, pois alguns raticidas podem ser altamente perigosos para seres humanos, animais domésticos e de criação. Os produtos registrados, ou seja, cujo uso é permitido, são raticidas crônicos derivados da cumarina e da indadiona. Eles têm ação anticoagulante e provocam a morte dos roedores alguns dias após a ingestão, causando hemorragias internas (intestinos e pulmões) e externas (mucosas). Têm como antídoto seguro a Vitamina K, e se forem ingeridos acidentalmente, é possível "cortar" o efeito aplicando injeções também de Vitamina K, com assistência do veterinário ou do médico, conforme o caso.

 

*Raticidas que não devem ser usados: estricnina e arsênico foram proibidos por serem de ação aguda; o monofluoracetato de sódio ou 1080; o  sulfato de tálio e a piriminil-uréia ou vacor, que embora seja seguro para  cães e gatos, não o é para humanos.

 

Com estas super dicas, afastar estes pequenos animais de sua propriedade fica muito mais fácil!