DIFERENTES PROCESSOS DE SECAGEM PARA CADA TIPO DE CEREAL

DIFERENTES PROCESSOS DE SECAGEM PARA CADA TIPO DE CEREAL

Para cada grão, uma forma de secar

 

Ao secar o grão, o produtor mantém a qualidade produtiva presente desde sua germinação. Mas você sabia que para cada tipo de cereal cultivado - milho, trigo, soja ou feijão - o processo de secagem deve ser diferente? Isso acontece porque cada variedade de grão apresenta um nível de umidade distinto.

Para você que mantém em sua propriedade variedades de grãos, selecionamos dicas valiosas de como realizar este processo. Conversamos com o engenheiro agrônomo e responsável pelo Programa de Grãos da Epagri na região Oeste de Santa Catarina, Marcelo Bassani que explica detalhadamente como realizar a secagem de cada tipo de cereal. Vamos lá:

 

Milho
 

            Para o milho ser armazenado, o teor de umidade que deve estar contido dentro dele deve ser de 12 a 13%. Quando ele é colhido na lavoura, normalmente tem um nível de umidade próximo a 26%.

            Temperaturas mais baixas são as recomendadas para secagem deste tipo de grão, o que irá manter a qualidade do produto. Nos secadores, a temperatura não pode ultrapassar 44ºC.

 

Trigo
 

A secagem correta do trigo evita o trincamento, a quebra, a queima e o cheiro de fumaça. Normalmente, quando o grão é colhido, a sua umidade está entre 18 e 22% e precisa passar pela secagem para chegar a 13%, nível adequado para ser armazenado. Para isso, o método mais adequado é passar por secadores industriais.

Se o trigo estiver com umidade próxima a 16%, indica-se a secagem lenta para evitar danos físicos no grão. A temperatura máxima na massa de grãos de trigo não deve ultrapassar 60 ºC. Nos secadores, essa temperatura é obtida mediante a entrada de ar aquecido a mais ou menos 70 ºC. A lenha é o combustível mais usado na secagem desses grãos.

 

Soja
 

No caso da soja, quando colhida tem os níveis de umidade próximos a 14 e 20%. Para o seu armazenamento, recomenda-se que os teores de umidade estejam em 11%. 

O processo de secagem através de secadores industriais deve manter a temperatura entre 70 a 130°C, acompanhando para que a temperatura do grão não ultrapasse 43ºC. É preciso fazer inspeção diária do equipamento e remover poeiras para evitar incêndios.

 

Feijão
 

Depois de realizar a colheita do feijão, o processo de secagem também precisa ser realizado antes da armazenagem. O teor de umidade contido dentro do grão precisa ser reduzido de, aproximadamente, 35% para 12%.

Para o feijão, os cuidados com a temperatura e o tempo de exposição também devem ser controlados. Quanto maior a umidade das sementes, mais baixa deve ser a temperatura de secagem, assim o grão seca lentamente sem danificar. A temperatura não pode ultrapassar os 60ºC.

 

Secagem natural  X artificial
 

Sabemos que para o produtor rural, o clima pode ser um aliado, mas também um grande vilão. E quando falamos em secagem de grãos, a situação não é diferente. Quem opta pela secagem natural dos grãos dependerá das condições climáticas para realiza-la e mesmo se forem favoráveis, não garantem o sucesso do processo. Outra desvantagem da secagem natural é a necessidade de mão-de-obra, que pode gerar custos extras.

Os secadores fabricados pela Perozin adaptam-se a diferentes tipos de grãos, tamanho de propriedade e volume de produção. Seu sistema de operação é de fácil manuseio e com manutenção super acessível.

Se você gostou das nossas dicas, acesse agora www.perozin.com.br e saiba mais sobre a alta tecnologia e qualidade dos produtos Perozin.